Productos naturales para recién nacido

Produtos naturais para recém-nascidos

A necessidade de proteger e cuidar do seu bebé é um dos sentimentos mais primitivos de uma mãe. O cuidado do bebé começa com a pele, o maior e mais exposto órgão do corpo, por isso aqui estão uma série de produtos naturais e recomendações para recém-nascidos.

Que produtos utilizar para cuidar ao recém-nascido?

  • Sabonete neutro. A pele do bebé tem um pH específico que não é bom de alterar. Por esta razão é importante utilizar sabonetes neutros ou ligeiramente ácidos, especificamente concebidos para a sua pele.
  • Loções hidratantes. Após o banho, é uma boa ideia hidratar a pele do bebé, pois pode ficar mais seca e irritada na zona da fralda. Opte por hidratantes não perfumados que cuidam da pele, respeitando-a ao mesmo tempo. Pode encontrar estes cremes em farmácias.
  • Toalhitas não perfumadas. Este tipo de toalhitas sem perfumes ou álcalis nocivos evitará irritar a pele do bebé ao mudar a fralda.
  • Perfumes para bebés. É um produto absolutamente dispensável na rotina do bebé que, se usado, deve ser esporádico. Além disso, não deve conter álcool e nunca deve ser aplicado sobre a pele, mas sim sobre a roupa do bebé. Os cheiros muito fortes podem ser desconfortáveis e prejudiciais para o olfacto do bebé, especialmente se se trata de um recém-nascido, pelo que é melhor esperar pelo menos até aos 6 meses de idade para utilizar este tipo de produto.

Substâncias a evitar em produtos para bebés

  • Anti-sépticos. A AEP (Associação Espanhola de Pediatria) não recomenda a sua utilização uma vez que modificam o sistema microbiológico natural da pele do bebé.
  • Parabenos. É um produto que se encontra frequentemente em cremes e toalhitas e, embora haja dúvidas quanto à sua perigosidade, a UE divulgou em 2011 a recomendação de não utilizá-los em crianças com menos de 6 meses. Este produto é frequentemente encontrado em alguns cremes e toalhitas, por isso compre os que não os contêm.
  • SLES e SLS. Significam Sodium Lauryl Sulfate (Sulfato Lurílico de Sódio ou SLS) e Sodium Laureth Sulfate (Lauret Sulfato de Sódio ou SLES). Estão presentes na maioria dos champôs, géis e sabonetes que podemos encontrar no supermercado, uma vez que actuam como agente espumante. No entanto, não são bons para a sua saúde, especialmente o SLS, pois tem propriedades abrasivas para a pele ao destruir os lípidos naturais da pele, que podem causar secura e irritação se se usam frequentemente. Além disso, ambas substâncias podem ser cancerígenas, embora seja verdade que as suas baixas taxas de concentração significam que não são muito perigosas, mas é melhor evitá-las.
  • Ftalatos. Este é um tipo de microplástico presentes na maioria dos perfumes que actuam como desreguladores endócrinos, que a longo prazo podem causar problemas tais como obesidade, diabetes, alguns tipos de cancros, infertilidade, etc.
  • Silicones. São substâncias que dão uma falsa sensação de hidratação na pele, mas produzem o oposto. A pele do bebé regula-se naturalmente e usando sabonetes agressivos e alguns cremes podem ser prejudiciais.

Em suma, apesar de ter um organismo muito imaturo, a pele do bebé tem os seus próprios mecanismos de protecção, melhor do que qualquer produto externo. A melhor maneira de cuidar dela é deixá-la seguir os seus próprios processos, mantendo a pele limpa e prestando atenção à sua higiene da forma menos invasiva possível.


Consejos para una crianza más ecológica

Simples mudanças para uma educação mais ecológica

O ecologismo e o regresso à natureza estão em todas as bocas. É comum ouvir falar de roupas, alimentos e cosméticos orgânicos, mas o que é a educação ecológica?

A educação ecológica ou orgânica refere-se ao aspecto mais primitivo da maternidade: um regresso à natureza e uma educação instintiva. Esta nova forma de olhar para a maternidade, tem a ver com o respeito pela mãe, pelo bebé e pelo ambiente. Não significa que tenha de se mudar para a floresta, mas sim que tem de se reconciliar com os seus instintos naturais: apego e afecto, aleitamento materno e acompanhamento do bebé no seu crescimento para que ele se torne num adulto feliz.

Portanto, se quiser saber mais sobre este tipo de educação, aqui estão algumas mudanças simples para uma educação mais ecológica:

  • Alimentação e amamentação: a maternidade começa a partir do momento em que se descobre que se está grávida, por esta razão, opte pelo consumo de produtos locais e sazonais durante este período. Quando o seu bebé nasce, a amamentação a pedido é a mais natural e a melhor opção tanto para o desenvolvimento do bebé como para a recuperação da mãe após o parto. Quando se inicia a alimentação complementar, a partir dos seis meses, incorpore a alimentação BLW (Baby Led Weaning). Este tipo de alimentação elimina os alimentos em puré da dieta do bebé e, em vez disso, introduz alimentos sólidos adequados à sua idade. Desta forma, podem experimentar e participar nas refeições, tal como o resto da família. Naturalmente, a comida caseira é sempre melhor, por isso opte por cozinhar em casa para que assim possa saber exactamente o que você e a sua família estão a comer.
  • Roupas: a melhor opção para o planeta e para o seu bebé são as roupas feitas com materiais naturais, evitando as fibras sintéticas que podem causar alergias ou problemas com a pele e a transpiração natural. Além disso, se forem de empresas nacionais e com selos de garantia, muito melhor! Também se pode optar por reutilizar roupas de irmãos mais velhos ou outras crianças da família.
  • Brinquedos: a educação natural propõe uma criação longe do consumismo e do estímulo excessivo da criança. Esqueça os brinquedos que não crescem com o seu bebé e estão cheios de plástico e escolha brinquedos com os quais eles possam brincar à medida que se desenvolvem. Estes são geralmente feitos de materiais sustentáveis tais como madeira e são mais resistentes, sendo ao mesmo tempo divertidos e educativos para o seu filho.
  • Higiene e cosmética orgânica: actualmente, cada vez mais marcas estão a desenvolver produtos de cuidado corporal com uma maior percentagem de ingredientes naturais: desde cremes, sabonetes e champôs a toalhetes biodegradáveis. É importante que as fraldas para o bebé sejam também sustentáveis com o planeta e a sua pele.
  • Reconecte com a natureza: não há nada mais ecológico e natural do que estar em contacto com a natureza. Para educar os seus filhos a respeitarem o ambiente, tem de dar o exemplo: reciclar, cuidar do ambiente, conhecê-lo e apreciá-lo. Brincar ao ar livre é uma forma de educar o seu pequeno de forma ecológica e trará muitos benefícios para o presente e o futuro.

Em suma, a educação ecológica propõe um regresso à natureza, aos instintos mais primitivos e maternais. Cuidar do seu filho, atendendo às suas necessidades e respeitando-o, acompanhando-o no seu crescimento e observando como pouco a pouco ele se torna num adulto feliz e saudável.


Beneficios de la ropa ecológica

Benefícios da moda sustentável

A roupa orgânica é aquela feita de materiais sustentáveis ou reciclados que provêm da agricultura biológica livre de pesticidas e produtos químicos. Este tipo de moda não só é benéfica para o planeta, mas também para si e para a sua família. Aqui estão os detalhes sobre este tipo de roupa.

Em primeiro lugar, a produção deste tipo de vestuário ajuda a poupar água, reduzindo ao mesmo tempo a nossa pegada ecológica no planeta. Isto é porque não são utilizados químicos ou pesticidas na sua produção e porque se poupa e polui menos água.

Por outro lado, é uma forma de combater a exploração infantil, uma vez que nos países do sudeste asiático as grandes multinacionais da indústria têxtil e do algodão utilizam o trabalho infantil para reduzir custos.

Outra vantagem tangível do consumo de vestuário ecológico é que reduz consideravelmente a pegada de carbono, uma vez que este tipo de moda é normalmente produzida a nível nacional ou europeu, evitando assim ter de transportar o produto de tão longe e reduzindo o impacto ambiental que isto implica.

Quanto aos benefícios pessoais, deve ser mencionado que este tipo de roupas, uma vez que não contém produtos químicos e é feita de materiais naturais, não produzem alergias ou problemas de pele. Também não contêm os chamados "desreguladores endócrinos", químicos relacionados com doenças como o cancro, diabetes, obesidade e infertilidade, entre outros. Por esta razão, estas peças de vestuário são especialmente recomendadas para recém-nascidos e crianças pequenas.

É evidente que o preço deste tipo de artigos é mais elevado precisamente porque evita a exploração laboral e a poluição ambiental, mas é preciso ter em conta que a qualidade é muito mais elevada do que a das grandes multinacionais. São roupas que são concebidas para durar, não para serem renovadas todas as estações, pelo que poupará a longo prazo ao não comprar roupas que depois de 4 ou 5 lavagens já começam a desgastar-se. Além disso, à medida que a procura aumenta e consequentemente a concorrência, os preços começam a baixar e a tornar-se mais acessíveis.

Finalmente, outro aspecto a ter em conta é a originalidade destas peças de vestuário, uma vez que os seus desenhadores são locais e não vendem em grande escala. Ao optar pela moda ecológica, estará a vestir-se de uma forma única enquanto ajuda o planeta e respeita a sua pele e a dos seus entes queridos.


Las primeras navidades del bebé

Como desfrutar do primeiro Natal com o seu bebé?

O Natal é uma das melhores épocas do ano para desfrutar com a família. Se este ano forem mais um na família, não há dúvida de que o seu bebé será o centro das atenções… mas é importante que tenha em conta certas dicas para que todos possam desfrutar deste Natal tão fora do comum.

Se este vai ser o primeiro Natal com um novo membro na família, vai ser muito especial e mais atípico do que já é no meio da pandemia. Será o momento em que o seu bebé conhecerá alguns parentes e poderão divertir-se todos juntos.

Aqui estão algumas dicas para ter o melhor tempo possível:

Iniciar tradições

A chegada a casa de um novo membro da família pode ser o momento ideal para iniciar uma tradição de Natal: calendários de advento, disfarces, amigos secretos, fotografias de família… Uma boa memória é fazer um postal de Natal em família e repetir a mesma foto todos os anos para que possa ver como a família muda ou mesmo cresce!

Procure o conforto

Os jantares e almoços de Natal com muito barulho e gente podem ser demasiado para um bebé tão pequeno. Especialmente neste primeiro Natal, é importante estar num ambiente familiar, que o bebé conheca. É melhor fazer o jantar na sua casa ou na casa de um membro da família que vive perto e está habituado a ele. Será mais confortável para todos e, sobretudo, será mais fácil para a criança adormecer e relaxar num ambiente familiar onde tem as suas coisas (fraldas, brinquedos, decoração…).

Respeite a rotina do seu bebé

Todos sabemos que “uma vez não são vezes” e não é claramente um problema que ele permaneça acordado um pouco mais do que normal. Mesmo assim, é importante que não altere os seus horários de sono e refeições, especialmente se vir que ele se sente desconfortável ou cansado. Todos vão querer conhecê-lo e abraçá-lo, mas se ele não gosta de estar com pessoas novas, não o force.

O que dar?

Natal e presentes são duas palavras que andam de mãos dadas, mas para evitar presentes desnecessários ou repetidos, faza uma lista de desejos ou coisas de necessidade para que, além de brinquedos e detalhes, lhe dêem coisas úteis e necessárias.

Não o perca de vista

Se o seu bebé já estiver por volta do primeiro ano, ele vai passar a noite toda interessado por as decorações e luzes de Natal, que serão o seu foco principal. Será muito enriquecedor para ele relacionar-se com todas estas cores e sons, uma vez que estimularão a sua aprendizagem e desenvolvimento, mas sempre com supervisão para evitar possíveis acidentes. Deve pensar que ele vai querer pôr tudo na boca e pode magoar-se a si próprio.

E por último, lembre-se que ninguém conhece um bebé melhor do que os seus pais. Se vir que ele está nervoso, irritado ou desconfortável, deve levá-lo para um lugar tranquilo, para que ele se acalme e mantenha uma boa memória deste momento tão especial.


Enuresis nocturna en niños

Meu filho ainda molha a cama, o que fazer?

Ao redor dos dois anos começa o controle dos esfíncteres pelo dia e, dali a poucos meses, algumas crianças também deixam de molhar a cama durante as noites. Porém, outras crianças molham a cama até aos cinco anos de idade a patir do qual é considerado como enurese noturna.

O que é a enurese?

A enurese é a micção involuntária durante a noite de uma criança com uma idade considerável para ter garantido o controle completo dos esfíncteres. Não obstante, entre os cinco e os dez anos é frequente que as crianças as vezes molhem a cama, porém é considerado enurese quando com cinco anos ou mais aconteceu mais de 4 vezes.

O problema causa muito estresse na criança e nos seus pais, por isso não deves dar demasiada importância. É um problema passageiro que o tempo e os conselhos resolvem.

O que fazer se meu filho molha a cama?

- Informação: é importante saber exatamente o que é a enurese, quais são suas causas e seus tratamentos, quando é bom ir ao médico e qual é a atitude adequada que deves ter com teu filho.

- Ter empatia com teu filho: para uma criança de 7 ou 8 anos de idade molhar a cama como quando era mais nova é um ato "vergonhoso" que pode causar sentimentos de culpabilidade, ansiedade e baixa autoestima. Nunca deves brigar com ele por isso.

- Fala com teu filho abertamente sobre o tema, que não seja um tema tabu. Tenta transmitir que é uma circunstância que acontece com muitas crianças e que não implica que alguma coisa esteja errada no corpo dele. Além disso, deves falar que tudo vai passar e se resolver.

- Transmite muito ânimo para que possa superar a parte emocional.

- Fala com o pediatra porque, em ocasiões, a enurese tem um componente emocional ou físico que precisa de um tratamento adequado como a terapia ou os medicamentos. É fundamental averiguar a causa para solucionar o problema.

- Se o problema é a carência da hormona ADH,  o hormônio antidiurético encarregado do controle de urina durante a noite, o tratamento é repôr esse hormônio mediante um fármaco muito eficaz e práticamente sem efeitos colaterais chamado desmopressina.

- Se o problema da enurese é por causa do tamanho da bexiga da criança, é possível recorrer ao tratamento fármaco ou as técnicas de reabilitação para conseguir aumentar a capacidade da bexiga.

- Muitas vezes é um problema de maturidade. Nesses casos é útil ajudar a criança mediante uma série de pontos:

- Ajuda a relaxar ele antes de deitar. Não é bom ir dormir com estresse.

- Reduz seu consumo de bebidas desde a última hora da tarde.

- Lembra ele de fazer xixi antes de dormir.

- Não fales com ele sobre a última vez que molhou a cama. É melhor falar de outras coisas, rir, ler...

- Oferece segurança: beija ele e transmite tranquilidade.

- Se molha a cama é bom que tenhas um pijama e umas cobertas por perto para trocar. Só ajuda a ele trocar não deves fazer comentários do acontecido.


Claves para saber si un pañal es ecológico

Quais são os materiais usados nas fraldas ecológicas?

Uma fralda ecológica é um produto que procura o menor impacto ambiental durante a produção e eliminação dos resíduos, por isso para sua fabricação é preciso usar materiais de origem vegetal livres de sustâncias prejudiciais.

O que é uma fralda ecológica?

As fraldas ecológicas são aquelas que procuram um menor impacto ambiental durante a produção e eliminação de resíduos. Existem dois tipos principais de fraldas ecológicas: as fraldas de tela laváveis, e as fraldas descartáveis.

As fraldas ecológicas descartáveis, estão elaboradas com tecidos orgânicos biodegradáveis e, as vezes, até compostável e fabricados com energias limpas, sem fragrâncias sintéticas nem produtos químicos na composição.

Além de ser respeitoso com o médio ambiente, também cuidam e protegem a pele do bebé porque não usam sustâncias químicas nem irritantes. São muito confortáveis e se encontram disponíveis em qualquer tamanho, pelo qual são a melhor opção se quiseres proteger ao meio ambiente ao mesmo tempo que cuidas da pele do bebé.

Com que materiais estão fabricados as fraldas ecológicas?

Para que uma fralda consiga o certificado deve estar fabricada, tanto ela como seu envase, de materiais de origem 100% vegetal e de algodão orgânico.

Alguns dos materiais que se utilizam para elaborar esse tipo de fraldas são:

- Colheitas sustentáveis de milho e cana de açúcar: ambos materiais são 100% biodegradáveis, suaves e provenientes da agricultura ecológica.

- Celulose procedente das florestas sustentáveis.

- Plásticos de base vegetal que se descompor rapidamente.

- Bambú: as fibras do bambú se podem processar para fabricar e elaborar fraldas ecológicas descartáveis.

Existem muitas opções para fabricar esse tipo de fraldas, mas o mais importante é que estejam livres de produtos químicos prejudiciais: plastificantes como o PVC, ftalatos, metais pesados, cloro, formaldeído, etc.

Também é importante que as colheitas das que provêm sejam ecológicas e que as energias com as que se fabricam sejam limpas e renováveis. Do mesmo jeito, a embalagem deve ser biodegradável e, se for possível, sua distribuição sustentável.

Dessa forma, temos certeza do cuidado do meio ambiente e evitamos plásticos que têm as fraldas descartáveis normais, as quais demoram até 500 anos em desaparecer.

Como saber se minha fralda é ecológica?

Para saber se esses materiais e o processo de fabricação e eliminação de resíduos é realmente ecológico, deves ter certeza de que conta com algum dos certificados ecológicos oficiais existentes. Alguns dos mais conhecidos são EU Organic Bio Logo, Ecolabel, Ecocert, Cosmebio, WWF, etc.


Causas y mitos de la enuresis

Causas e mitos da enurese

A micção involuntária em crianças de mais de 5 anos durante pelo menos 4 vezes ao mês, se denomina na medicina enurese e é um problema bastante frequente. Quais são as causas da enurese? Que mitos surgiram sobre esse problema?

Causas da enurese

São várias as causas da enurese.

- Atraso da maturidade. Até que os esfíncteres não maduram a criança é incapaz de controlar a micção. Uma má aprendizagem ou um atraso neurofisiológico pode ser a causa da incontinência.

- Fator anatômico. Muitas crianças que padecem enurese apresentam uma bexiga pequena, o que impede acumular toda a quantidade de urina que se produz durante a noite.

- Alteração dos níveis da hormona antidiurético (ADH). Pode acontecer que, por causa de uma deficiência dessa hormona, encarregada de reduzir a secreção da urina pela noite, a produção dessa aumente e, como consequência, se produz a incontinência.

- Circunstâncias psicológicas. Normalmente é a causa mais habitual em enurese secundária (ou seja, em crianças que consiguem controlar os esfíncteres e começam molhar de novo a cama). Como consequência de alterações ou impactos emocionais (falecimento de um familiar, nascimento de um irmãozinho, divórcios, etc), a criança pode mixar pelas noites.

- Fatores genéticos. É claro o papel que joga a genética familiar nesses casos. A incidência da enurese em crianças cujo pais tiveram enurese é de um 75%.

- Causas patológicas. A enurese também pode ser parte da sintomatologia de uma patologia, com uma infeção de urina, diabetes, obstrução uretral, uréter ectópico, etc.

Sabes as causas é essencial para conseguir ajudar a criança porque as vezes existe um problema físico ou uma doença que deve ser tratada. No entanto, se o problema é emocional é necessário ajuda psicológica.

Mitos sobre a enurese

Todas as pessoas conhecem alguma criança que tem esse problema ou inclusive tiveram enurese quando eram novos. É normal que tenham aparecido muitos mitos que precisam ser desmentidos para ajudar as crianças que sofrem enurese.

  1. A criança faz xixi porque ela quer. Nenhuma criança maior de cinco anos mixa na cama por vontade... é uma coisa que não podem evitar e, provavelmente, é ele quem pior passa quando acorda e percebe que molhou a cama. A enurese é um problema real e é bom consultares com o pediatra. Então, não deves castigar a criança porque ela faz involuntariamente.
  2. É um problema que se resolve sozinho. Isso é verdade só que com matizes. É certo que se não fazes nada, a criança nalgum momento deixará de se mixar, mas na maioria dos casos até com 12 ou 13 anos não o consegue. Dessa forma, ficara anos com vergonha, culpabilidade, autoestima baixa... É recomendável que passados os seis anos consultares o pediatra.
  3. A criança aprende se castigas ela lavando os lençóis. A criança não faz aposta, por isso não deves castigar ela. Se fazes isso só piora a situação.
  4. Sempre é um problema psicológico. A enurese secundária sim é psicológica, mas não sempre é um problema psicológico ou emocional, muitas vezes existe um fator físico detrás (problemas asintomatica, hormonais, patológicos), pelo que é bom consultares ao médico.

Causas y mitos de la enuresis

Causas e mitos da enurese

A micção involuntária em crianças de mais de 5 anos durante pelo menos 4 vezes ao mês, se denomina na medicina enurese e é um problema bastante frequente. Quais são as causas da enurese? Que mitos surgiram sobre esse problema?

Causas da enurese

São várias as causas da enurese.

- Atraso da maturidade. Até que os esfíncteres não maduram a criança é incapaz de controlar a micção. Uma má aprendizagem ou um atraso neurofisiológico pode ser a causa da incontinência.

- Fator anatômico. Muitas crianças que padecem enurese apresentam uma bexiga pequena, o que impede acumular toda a quantidade de urina que se produz durante a noite.

- Alteração dos níveis da hormona antidiurético (ADH). Pode acontecer que, por causa de uma deficiência dessa hormona, encarregada de reduzir a secreção da urina pela noite, a produção dessa aumente e, como consequência, se produz a incontinência.

- Circunstâncias psicológicas. Normalmente é a causa mais habitual em enurese secundária (ou seja, em crianças que consiguem controlar os esfíncteres e começam molhar de novo a cama). Como consequência de alterações ou impactos emocionais (falecimento de um familiar, nascimento de um irmãozinho, divórcios, etc), a criança pode mixar pelas noites.

- Fatores genéticos. É claro o papel que joga a genética familiar nesses casos. A incidência da enurese em crianças cujo pais tiveram enurese é de um 75%.

- Causas patológicas. A enurese também pode ser parte da sintomatologia de uma patologia, com uma infeção de urina, diabetes, obstrução uretral, uréter ectópico, etc.

Sabes as causas é essencial para conseguir ajudar a criança porque as vezes existe um problema físico ou uma doença que deve ser tratada. No entanto, se o problema é emocional é necessário ajuda psicológica.

Mitos sobre a enurese

Todas as pessoas conhecem alguma criança que tem esse problema ou inclusive tiveram enurese quando eram novos. É normal que tenham aparecido muitos mitos que precisam ser desmentidos para ajudar as crianças que sofrem enurese.

  1. A criança faz xixi porque ela quer. Nenhuma criança maior de cinco anos mixa na cama por vontade... é uma coisa que não podem evitar e, provavelmente, é ele quem pior passa quando acorda e percebe que molhou a cama. A enurese é um problema real e é bom consultares com o pediatra. Então, não deves castigar a criança porque ela faz involuntariamente.
  2. É um problema que se resolve sozinho. Isso é verdade só que com matizes. É certo que se não fazes nada, a criança nalgum momento deixará de se mixar, mas na maioria dos casos até com 12 ou 13 anos não o consegue. Dessa forma, ficara anos com vergonha, culpabilidade, autoestima baixa... É recomendável que passados os seis anos consultares o pediatra.
  3. A criança aprende se castigas ela lavando os lençóis. A criança não faz aposta, por isso não deves castigar ela. Se fazes isso só piora a situação.
  4. Sempre é um problema psicológico. A enurese secundária sim é psicológica, mas não sempre é um problema psicológico ou emocional, muitas vezes existe um fator físico detrás (problemas asintomatica, hormonais, patológicos), pelo que é bom consultares ao médico.

Ventajas de los pañales ecológicos

O que é uma fralda ecológica e quais são suas vantagens?

A preocupação pelo planeta faz que muitos pais comprem as novas fraldas ecológicas porque as fraldas tradicionais são uma perigosa fonte de poluição.

O que é uma fralda ecológica?

A fralda descartável ecológica está elaborada com tecido orgânico biodegradável, inclusive as vezes até com materiais de origem vegetal e algodão orgânico. Aliás, é importante ser produzida com energia 100% limpa e sem ter fragrâncias sintéticas e produtos químicos na sua composição.

Em resumo, uma fralda ecológica é um produto que tenta ter um menor impacto ambiental durante a produção e eliminação de resíduos por estar feita de materiais naturais livres de sustâncias nocivas na pele do bebé.

Para ter certeza de que a fralda é realmente ecológica, deves ver que tenha as certificações independentes que confirmem suas características ecológicas e de segurança, como AllergyCertified, Standart 100 de OEKO- TEX®, a etiqueta ecológica oficial da UE, etc.

Quais são as vantagens da fralda ecológica?

  1. São confortáveis para usar, pois são descartáveis (não precisas lavar como as fraldas de tela), mas não contaminam o meio ambiente na produção como também não na eliminação.
  2. Respeitam e cuidam a pele do bebé porque não contêm sustâncias nocivas que podem irritar e danar a delicada pele do bebé. São suaves para a pele e permitem sua transpiração. Além disso, estão livres de químicos para que não afete a saúde do bebé.
  3. Não contaminam quanto as fraldas descartáveis normais. As fraldas descartáveis comuns contêm, além de fibra composta e poliacrilato de sódio (um absorvente), polipropileno e polietileno microporoso (plástico). Por isso, além de ser um resíduo de degradação devagar, contaminam porque têm derivados do petróleo. O tempo em desaparecer demora uns 500 anos e são necessários até 5 árvores para produzir as fraldas que usará um bebé durante 24 meses, além do petróleo correspondente.
  4. 4. Não são muito mais caros do que os descartáveis normais. Estão ao alcance de quase todas as famílias.
  5. Podes encontrar todos os tamanhos, desde tamanhos para recém nascido até júnior.
  6. São muito eficientes pois absorvem e secam muito bem a umidade da pele do bebé. Teu bebé estará seco e confortável várias horas.

¿Cómo tiene que ser el cepillo de dientes para bebés?

Como é a escova de dente ótima para o bebé?

Os hábitos de higiene são importantes durante a vida toda de uma pessoa, mais ainda quando é criança e começa levar tudo à boca. É bom escovar os dentes para desinfetar a boca.

As vezes não sabemos qual é a escova ótima para nosso filho, por isso, é bom saber que deve ter as seguintes características:

- O tamanho deve ser menos do que as escovar de adultos. A cabeça tem que ser compacta e anatômica.

- Para evitar feridas, as cordas devem ser suaves.

Cabo ergonômico, quer dizer, fácil de usar.

Uma vez tenhas escolhido a escova, precisas saber o tipo de pasta dos dentes:

- Entre os seus meses e os dois anos é aconselhável 1000ppm de flúor nas pastas dos dentes. A quantidade será muito pequena.

- Entre os dois e os seis anos, 1000-1450 ppm de flúor e a quantidade um pouco maior (tamanho de uma ervilha).

- Para as crianças maiores dos seis anos é bom usares pastas com 1450 ppm de flúor. Se deve aumentar a quantidade.


A Sociedade Espanhola de Odontopediatria
é a responsável de indicar essas quantidades de flúor. A pasta dos dentes sempre deve conter flúor.


Passos para escovar os dentes ao bebé

1. É bom deitar ele no teu colo para teres uma boa visão da sua boquinha.

2. Introduz a escova e passa ela com suavidade para tirar as baterias. Não precisa ser perfeito. Faz primeiro a parte superior e depois a inferior.

Para que a criança tenha uma boa saúde bucal o mais importante é criar o hábito e a rotina de escovar os dentes. Uma pessoa adulta deve se lavar três veces por dia, depois das comidas. O ideal numa criança é que o faça também após as comidas mas com duas veces está ótimo (uma plea manhã e outra pela noite antes de deitar). Deves ter muita paciência para que teu filho escove pelo menos durante dois minutos. Se já tem os dentes é bom escovar cada um deles e não esquecer de escovar a língua.