Problemas de cadera en el bebé

Problemas da anca no bebé ao nascer

O principal problema de anca que um recém-nascido pode ter é a displasia de anca ou displasia de desenvolvimento de anca, anteriormente conhecida como luxação da anca. Consiste numa malformação congénita em que a cabeça do fémur não encaixa correctamente na pélvis.

É um problema hereditário cujas causas ainda não são conhecidas ao certo e que afecta 3 em cada 1.000 crianças. Em qualquer caso, há certos factores que agravam o risco de sofrer displasia de anca, como por exemplo:

  • Sexo feminino: as meninas, devido à maior flexibilidade dos seus ligamentos, tendem a ter mais problemas na anca do que os meninos.
  • Parto com aprensentação pélvica: quando o bebé está em posição pélvica, há um risco maior de ter este problema na anca. A incidência deste tipo de apresentação situa-se entre 3% e 4% dos partos, ou seja, 1 em cada 25-30 partos.
  • Antecedentes familiares deste tipo de condição.
  • Útero mais pequeno: pode ocorrer se o bebé for grande (mais de 4kg), se for a primeira gravidez, ou se for uma gravidez múltipla.
  • Líquido amniótico reduzido no útero.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico precoce da displasia de anca em bebés é muito importante, pois o tratamento antes dos três meses de idade melhora consideravelmente ou até resolve completamente o problema. Não precisa de se preocupar com isto, uma vez que os médicos irão verificar minuciosamente o bebé logo após o nascimento e nos exames médicos. Alguns sinais de que um bebé está a sofrer desta condição são os seguintes:

  • "Click" na anca: ao mover as articulações das pernas, ouve-se um "click" ou um som oco.
  • O bebé tem uma perna mais comprida que a outra ou é incapaz de mover uma perna para fora.
  • Diferenças visíveis das dobras de pele e gordura naturalmente formadas na virilha.
  • Escoliose ou andar mancando: estes são sintomas que são vistos mais tarde, quando a criança começa a andar. O mais normal é a detecção desta doença durante os primeiros meses de vida, mas em alguns casos isolados, só é detectada passados alguns anos.

O tratamento da displasia procura alcançar uma anca sem malformações, com o fémur encaixado na pélvis para evitar problemas futuros, tais como claudicação, artrite ou problemas de coluna devido à má postura. Um dos tratamentos mais aplicados e eficazes é a utilização do arnês de Pavlik. Este dispositivo mantém as pernas do bebé abertas como um sapo, o que ajuda no posicionamento da anca. Se este arnês não funcionar, a cirurgia e a imobilização com gessados podem ser utilizadas em casos excepcionais, embora isto seja muito raro.

Finalmente, a maioria dos hospitais tem um protocolo ainda mais completo para o diagnóstico de Displasia de Anca em bebés com antecedentes familiares e que vêm em posição pélvica. Por esta razão, não se deve preocupar, pois hoje em dia, o diagnóstico e o tratamento precoce fazem que o bebé cresça sem qualquer problema.


Cuándo ir al pediatra por la enuresis

Enurese: quando consultar o pediatra?

A enurese é um problema de controlo de esfíncteres que algumas crianças apresentam a partir dos 5 anos de idade. Este problema tem muitas causas, algumas das quais podem ser de origem médica, pelo que deve sempre consultar o seu pediatra no caso do seu fliho precisar de tratamento médico.

Causas da enurese

- Atraso maturativo embora a maioria das crianças chegem a controlar os seus esfíncteres durante o dia à volta dos 2 a 3 anos e durante a noite, em torno dos 3 ou 4 anos, algumas amadurecem mais tarde, pelo que alcançam este controlo um pouco depois.

- Factor anatómico: ter uma bexiga pequena, por exemplo, significa que a criança não pode armazenar toda a urina que produz durante a noite.

- Alteração dos níveis de hormona antidiurética (ADH): esta hormona é a encarregada de reduzir a secreção de urina durante a noite, por isso, se a sua produção diminuir, a criança não pode controlar a urina.

- Circunstâncias psicológicas: esta é a causa mais comum da enurese secundária (ou seja, crianças que não se fazem chichi na cama e voltam a o fazer numa altura). A morte de um membro da família, uma mudança, o divórcio dos pais ou a chegada de um irmãzinho pode provocar uma regressão que leva a criança a urinar-se na cama novamente à noite.

- Factores genéticos: a incidência da enurese em crianças cujos pais tiveram enurese é de 75%.

- Causas patológicas: este problema pode também fazer parte da sintomatologia de uma patologia, como uma infecção de urina, diabetes, obstrução uretral, ureter ectópico, etc.

Como pode ver, há várias causas de origem médica que requerem uma visita ao pediatra. Mesmo a causa psicológica precisa de ajuda profissional, portanto, se o seu filho tiver mais de 5 anos de idade e fizer chichi na cama pelo menos 4 vezes por mês, deve consultar o seu pediatra.

Quando é que se deve consultar o pediatra?

Se o seu filho tiver mais de 5 anos e fizer chichi na cama todas as noites ou tiver mais de 9 anos e ainda urina-se na cama com alguma frequência, deve dirigir-se ao seu pediatra. Também se notar algum destes sinais:

- A enurese ocorre após 6 meses seguidos sem mijar na cama

- Há alterações na quantidade ou no número de vezes que urina

- Sofre também de obstipação ou encoprese (faz cocó na cama)

- Tem dor, comichão ou dificuldade em urinar, ou a sua urina está turva, cheirosa ou com sangue

- O fluxo de urina é muito fino ou tem ligeiras fugas no final

- Está associado a mudanças de humor, tristeza, depressão...

O que vai acontecer na visita ao pediatra?

O médico vai verificar o seu filho e fará perguntas sobre a enurese: quando começou, se é primária ou secundária, quantas vezes faz chichi na cama por semana... Ele pode explorar o abdómen, os genitais e as costas, se for enurese primária. Além disso, poderá fazer alguns testes (análise de urina, ultra-som, análises hormonais) se suspeitar que possa ter alguma doença como infecções ou diabetes.

Se nada físico for encontrado, normalmente fará uma série de recomendações ou consultará um psiquiatra, se for necessário.

Qual é o tratamento para a enurese?

Se não houver qualquer causa física ou patológica, o pediatra dará uma série de dicas ou conselhos para ajudar a criança:

- Nunca o castigue, repreenda ou o faça sentir-se culpado. Nem se ria ou zombe dele.

- Certifique-se de que não bebe demasiados líquidos no final do dia e que faz chichi mesmo antes de ir dormir.

- Motive o seu filho com um calendário de noites secas e húmidas usando autocolantes ou caras sorridentes. Celebre qualquer conquista, não importa quão pequena seja.

- Não acorde o seu filho para fazer chichi à noite, pois ele se habituará a urinar sem acordar e não será capaz de controlar os seus esfíncteres por si próprio.

- É prejudicial "cortar o fluxo" ao urinar, pois pode alterar a função da bexiga.

 

Além disso, algum tratamento pode ser necessário em alguns casos. Os mais eficazes e comuns são:

- Alarme de enurese: é um dispositivo que é usado à noite e apita quando as gotas de urina começam a sair, por isso ajuda a criança a responder às sensações de uma bexiga cheia enquanto dorme.

- Desmopressina: é um medicamento que diminui a produção de urina durante a noite.


Qué hacer si mi hijo tiene bronquiolitis

O que fazer se o bebé tem bronquiolite?

Uma das maiores preocupações dos pais e mães, mais ainda quando é o primeiro filho,  são as doenças. Algumas são muito habituais e pouco perigosas, porém existem outras doenças bem mais perigosas. Aqui falaremos sobre a bronquiolite.

O que é a bronquiolite?

A bronquiolite é uma infeção respiratória que muitas crianças podem desenvolver. Concretamente é a inflamação dos bronquíolos, que são ramificações dos brônquios. Os brônquios são os responsáveis de transportar o oxigênio.

A doença se produz quando existe um contágio viral na criança. É caracterizado por uma inflamação e uma abundância da mocidade.

Na maioria dos casos a bronquiolite é causada pelo vírus sincicial respiratório (VSR), porém também outros vírus causam essa doença:

- rinovirus (resfriado comum)

- vírus da gripe

- metapneumovirus humano

- adenovirus

- COVID-19

- vírus da parainfluência

Fatores de risco

Os bebés de seis meses assim como os bebés prematuros, são os que têm maior risco de contrair bronquiolite. Outros fatores de risco são:

- ter afecções cardíacas ou pulmonares não diagnosticadas.

- ter um fraco sistema inmunitario.

- ficar exposto ao fumo do tabaco.

- não ter recebido amamentação da mãe.

- estar em contato com outras crianças.

Com que idade aparece a bronquiolite?

A bronquiolite é mais comum em crianças novas e durante seus primeiros anos de vida. É uma doença transmitida pelo ar e pelo contato com outras pessoas. É muito fácil uma criança contagiar às outras através dos brinquedos ou do contato físico. Durante o inverno a doença é mais intensa por causa do frio e do sistema de defensa.

As vezes é preciso aumentar as precauções quando a criança tem outras patologias mas, normalmente, essa doença não demora mais de 9 ou 10 dias no corpo.

Sintomas da bronquiolite

O melhor é ir ao médico, se seu filho desenvolve algum dos siguentes sintomas:

- se a febre aumenta rapidamente ou é muito elevada (40° graus ou mais).

- se suas vias respiratórias estão muito obstruídas e não pode respirar.

- Se não para de chorar durante a noite ou não é capaz de dormir.

- Se não pode comer por causa da tosse ou da mucosidades.

- Se tem faringite e aparece um tumor ao redor das amígdalas.

O que fazer?

É muito importante manter a criança hidratada para eliminar a maior quantidade possivel de mucosa, assim como ter umas vias respiratórias úmidas. Nos casos graves é preciso a hospitalização.

O paracetamol calma os sintomas da febre (consultar a dose com o pediatra).

O melhor é tentar previr a doença com uma continua lavagem de mãos, com vitamina C (que reforça o sistema inmunitario), ventilar os quartos, não partilhar brinquedos, talheres...


Consejos para evitar uñas encarnadas

Unha encarnada em bebês

Mesmo com um tamanho pequeno, as unhas são uma parte fundamental do corpo pois ajudam proteger as extremidades tanto das mãos como dos pés. Em ocasiões as unhas se encarnam e é bastante doloroso.

Causas e sintomas

O recém nascido tem as unhas mais moles e fracas do que as unhas dos adultos, além disso estão mais aderidas na pele. Por isso, é importante ter cuidado porque é fácil que a unha entre na pele e cresça pelo lugar inadequado. Isso se conhece como unha encarnada.

Normalmente a unha encarnada é a unha do dedão do pé, porém pode acontecer com qualquer uma.

A encarnação das unhas surge por vários motivos:

- Cortar a unha mais do adequado. O recomendável é cada três ou quatro semanas quando sobressairem um pouco. Usar tesouras pequenas ou cortador de unhas especial para bebés. O ideal para evitar a encarnação de unha é fazer corte reto para que a unha fique "quadrada" e  não circular.

Além disso, não é recomendável usar sapatos ajustados ou os impatos contra o pé, por exemplo, no esporte. É importante prestar atenção quando a unha cair completamente e nasce uma nova.

Quando acontece alguma das causas anteriores ou outras, a criança pode sentir uma forte inflamação ou a zona próxima à ponta dos dedos vermelha, dores, e inclusive as vezes febre.

Como evitar a encarnação de unha

As crianças têm mais facilidade de sofrer uma encarnação do que os adultos.

Se percebes que sua unha está encarnada, deverás molhar a zona com água tíbia para que fique mole e remover com mais facilidade a parte da unha que perturba a pele.

Nesse tipo de situações poucas vezes é preciso cirugia.

Se apresenta a pele muito vermelha é bom desinfetar com água oxigenada e aplicar creme antibiótico.

Se após umas semanas a zona da unha que tava encarnada não melhora, o melhor é ir no médico.


Productos ecológicos para la piel del bebé

Produtos ecológicos para a higiene do bebé

Os produtos ecológicos não são só bons para o meio ambiente, também o são para a pele do bebé. Quando são considerados ecológicos? Quais são seus benefícios?

Quando um produto é considerado ecológico?

Para que um produto seja considerado ecológico é necessário que tenha uma série de características:

1- Produtos feitos com óleos vegetais e materias primas naturais procedentes de um cultivo ecológico.

2- Livre de colorantes, perfumes, óleos sintéticos, óleos minerais petroquímicos, parabenos, substâncias usadas nos produtos de higiene convencional.

3- Não podem estar testados em aninais.

4- Sua embalagem deve ser 100% reciclável.

5- Devem ter algum certificado ecológico internacional que fale que é ecológico.

Benefícios dos produtos ecológicos de higiene

Os químicos e as sustâncias artificiais, muitas as quais são prejudiciais para a saúde do bebé, dominaram durante muito anos todos os produtos que consumimos, inclusive os higiênicos. Porém, a pele do bebé é muito mais fina e delicada do que a pele dos adultos, por isso é necessário um cuidado extra e productos naturais que respeitem o pH. Por isso, é conveniente procurar cremes e óleos hidratantes, géis, champú ou cremes para fraldas livres de sustâncias tóxicas e irritantes como os parabenos, os ftalatos ou o bonoprolol.

Os parabenos se associam com trastornos do sistema endócrino e problemas na pele. Também tem a ver com o câncer de mamã.

Os ftalatos têm efeitos no sistema hormonal e afetam ao sistema reprodutor.

Enquanto o bonoprolol é um tóxico para o sistema inmunitario e age como disruptor endócrino.

Para evitar esse possível prejuízo na saúde presente e futura do teu filho, é conveniente acudir aos produtos ecológicos e naturais que protejam e cuidem a pele do bebé. Esses produtos cosméticos estão formulados com óleos e plantas naturais, sem químicos nem sustâncias perigosas. Por isso, são respeitosos e suaves com a pele, respeitam o pH natural sem alterações. As matérias primas vegetais contêm elas mesmas mais propriedades cosméticas do que os ingredientes sintéticos.

Por último, as formulações naturais permitem uma maior compatibilidade com a pele e uma menor predisposição com as alergias, irritações e vermelhões.

Além disso, cuidam e protegem o planeta porque estão compostos de ingredientes naturais, embalagens recicláveis, não foram testados em animais e a fabricação respeitou os direitos dos trabalhadores.

Quais são os produtos de higiene precisos nos primeiros meses do bebé?

Para sua higiene diária nos primeiros meses de vida o bebé necessitará:

- Um gel/ champú

- Toalhitas

- Fraldas (que também podem ser ecológicas)

- Óleo ou creme hidratante

- Creme da fralda para as irritações.

- Esponja natural.


Causas del lanugo en recién nacidos

Alguns bebés nascem com lanugo, por quê?

O lanugo são pelos curtos, finos e macios no corpo do bebé durante a gestação como função protetora. Normalmente esse pelo desaparece antes do nascimento mas não deves te preocupar se nasce com ele.

 

O que é o lanugo?

 

O lanugo é um pelo que rodeia a pele de algumas zonas do bebé durante sua formação. Normalmente essa capa de pelo aparece na sua cabeça ao redor da semana 13° de gravidez e na semana 20 já cobre todo o corpo do feto. Na maioria dos casos, esa capa cai na semana 40 de gestação antes do seu nascimento, porém, existem casos nos quais o bebé nasce com esse pelo. É mais habitual nos nascimentos prematuros por não ter permanecido tempo suficiente no útero para o pelo desprender.

 

Pelo desconhecimento da informação, muitos pais preocupam - se quando enxergam que seu filho nasceu com essa capinha. Aqui te explicamos que não é nenhuma anomalia e que o bebé está saudável, o lanugo desaparece com a passagem dos dias. É só uma questão estética, por isso não deves esfregar a pele do bebé porque podes causar irritações.

 

O pelo forma parte da verniz caseosa, uma capa fina conhecida como unto sebácea.

 

A genética é um dos fatores que intervém no momento de estabelecer a quantidade de pelo do bebé. Existem neonatos que apenas têm lanugo e outros que têm demais.

 

Mas, para que sirve esse lanugo?

 

O lanugo tem uma função de proteção do feto durante a gravidez. Essa capa de pelo protege o bebé das infeções ou das agressões das sustâncias irritantes que estão no líquido amiotico.

 

Além disso, ajuda conservar o bebé quentinho porque sua pele ainda não está preparada para manter a temperatura. Evita a desidratação, a umidade e o frio dentro do útero.

 

Quando desaparece?

 

Normalmente desparece antes de que o bebé nasça. Na semana 40 da gravidez, se desprende e fica no líquido amiotico para formar parte do mecônio.

 

Se teu bebé nasce com essa capa, não tens que preocupar-te porque em poucos dias vai cair.

 

Se pode confundir o lanugo com hipertricose ?

 

A principal diferencia entre o lanugo e a hipertricose é a quantidade de pelo e sua densidade. A hipertricose é uma alteração genética que faz que as pessoas tenham muito mais pelo do "normal". Esse pelo é mais abundante e forte que o lanugo. As pessoas que tem hipertricose podem sofrer rejeição social.

 

Nesses casos uma solução pode ser a depilação laser. No começo é uma decisão dos pais, mais tarde, será a criança quem decida.

 

Fala com teu pediatra das tuas preocupações porque ele é o mais indicado para te aconselhar.


É ruim se o bebé faz pouco xixi

É ruim se o bebé faz pouco xixi?

Um dia percebiste que teu bebé não teve feito xixi durante o dia todo e que a sua fralda esteve menos molhada que outros dias, por que aconteceu isso?

Causas pelas quais o bebé faz menos xixi:

- Comeu e bebeu menos. A urina forma- se com as substâncias dos desfeitos da alimentação e dos líquidos, então é normal que produza menos xixi quando comeu e bebeu menos.

- Está doente. Se teu bebé tem gastroenterite ou sintomas como vômitos e diarréia, é normal que urine menos, pois não tem absorvido nutrientes para formar a urina.

- Está desidratado. Quando está muito calor ou tem gastroenterite grave, o bebé pode ficar desidratado pela perda de líquido através do suor, os vômitos e as fezes. Nesses casos, deve ter outros sintomas como a boca seca, os olhos fundidos, fraqueça, ausência de lacrimas, moleirinha fundida...

- Infeção de urina. Quando sofre uma infeção de urina, arde e sente muita dor, pelo qual o bebé deixa de fazer xixi para não sentir esses incômodos. Aliás, é habitual outros sintomas como febre, ausência de fome, chorar quando faz xixi e uma urina mais escura com um cheiro mais ruim do habitual.

- Está com muito calor. Se o bebé sua muito pelas temperaturas elevadas, perde líquido através da pele, o que faz que os rins reduzam a secreção de urina para poupar água para o organismo. Por isso, o bebé terá feito menos xixi. Se bebé água ou leito não está desidratado.

- Está com febre. Quando está com febre, normalmente sua mais e respira mais rápido, o que faz que elimine mais água através da pele e da respiração, dessa forma se reduz a urina.

Que devo fazer?

O primeiro é ter certeza que ele que não tem nenhum problema de saúde como a febre, a infeção ou a desidratação. Se é só que está com calor, dá para ele mais líquidos e tenta que esteja em lugares mais frio e ventilados. Se tú achas que esteja doente, vai no pediatra.

O mais importante é evitar a desidratação, por isso tenta que beba água com frequência ou leite (se tem menos de 6 meses, só leite materna ou de fórmula).

Porque meu bebé não faz mais xixi pela noite?

Quando ainda a criança é muito nova é estranho que tenha deixado de fazer xixi pelas noites. Porém, os bebés de mais de 9 meses é normal que comecem acordar com a fralda seca ou menos molhada, pois a hormona vasopressina (conhecida como a Hormona Anti Diurética), que é responsável de reduzir a urina durante a noite e pode começar produzir quantidades maiores com essa idade, embora o mais habitual é com 2 anos.

Se o dia a seguir continua a fazer xixi igual, não tens que te preocupar. Simplesmente teu bebé "aprendeu" controlar a urina de noite, o que ajudará tirar a fralda mais na frente.


O que é a dolicocefalia

O que é a dolicocefalia?

É um tipo de craniossinostose, ou seja, uma malformação do crânio como consequência do feche cedo e da sutura sagital. Isso dá lugar a ter um crânio cumprido.

No momento que nascem, os ossos do crânio do bebé estão sem fechar para facilitar a saída do parto. As suturas vão se fechando nos primeiros anos de vida até que estão totalmente fechadas na puberdade, embora a completa coisificação se produza aos 50 anos.

Porém, por diferentes motivos em algumas crianças essa fechadura se produz antes do devido e acontece a craneossinostose. Essa malformação pode ser só estética mas as vezes pode ter relação com alterações cromossômicas. Se quando se fecha o crânio ainda é muito cedo o espaço para o cérebro se reduz, pelo que podem acontecer problemas sérios como a hipertensão craneal, atrofia tópica, edema de papila, etc

Quando estamos a falar de dolicocefalia é porque se produz muito cedo o feche da sutura sagital que provoca uma deformação do crânio e acaba se alongando. A testa fica larga que dá para perceber.

É o tipo mais frequente de craneossinostose. Costuma se descobrir nas primeiras revisões do recém nascido ou inclusive durante a gravidez, se é aí quando se produz.

Não se tem muita certeza das causas mas pode ser pelo raquitismo, infeções no útero,
pressões intrauterinas, alterações genéticas etc.

Se não tem relação com nenhuma malformação, o diagnóstico cedo pode evitar as complicações.

O tratamento é a cirurgia para cobrir suturas fusionadas e dessa forma fazer maior o espaço do crânio para que o cérebro cresça sem problemas. Pode precisar de inxerto de ossos para manter a separação. Se tudo da certo, a criança vai crescer sem sequelas e com um desenvolvimento de inteligência normal.


Qual é a temperatura normal de um bebé

Qual é a temperatura normal de um bebé?

Todos sabemos que superado os 37'5° C se considera que o bebé tem febre mas, qual é a temperatura que deve ter normalmente, quando não está doente?

A temperatura normal de um bebé é a mesma do que a temperatura de um adulto, entre 35 e 35'7° C, tomada desde a axila. Todos temos uma temperatura base que oscila entre esses graus. É normal tanto ter 35'3º C como ter 36'8 ° C. No entanto, quando aumenta por cima de 37'5° C falamos de febricula e se aumenta mais, é febre.

No entanto, a temperatura varia em função de onde se tire.

Temperatura normal na boca e axila: entre 35'5 e 37'5 ° C

Temperatura normal tirada no ânus: entre 36 e 38° C

Se fala de febricula quando a temperatura fica por cima de esse graus, é um processo que se pode dever a uma infeção mas também causada pelo excesso de agasalho, temperatura ambente muito alta ou a reação com uma vacina.


Sintomas do sarampo nos bebés

Sintomas do sarampo nos bebés

O sarampo é uma doença exantemática provocada por um vírus muito contagioso, chamado paramixovírus, que pode apresentar complicações graves, ainda que na maioria dos casos seja curada sem problemas.

 

Read more