Comida para un bebé

O melhor lanche para um bebé

A partir dos seis meses, é recomendado iniciar a alimentação complementar, uma vez que a amamentação já não satisfaz todas as necessidades nutricionais do seu bebé. Dependendo de se segue uma dieta BLW ou não, os lanches do seu bebé podem variar.

Os especialistas recomendam começar pelos cereais sem glúten, legumes, fruta e carne branca, deixando sempre um par de dias entre alimentos para descartar possíveis intolerâncias ou alergias. Dito isto, aqui estão algumas sugestões de lanches para bebés a partir dos seis meses para variar e fazer algo divertido com os mais pequenos:

  • Primeiros lanches: a partir dos seis meses, os seus primeiros lanches devem consistir principalmente em fruta. Seja em papas ou em pequenos pedaços, dependendo da idade e do tipo de alimentação, as frutas mais comuns são: banana, maçã, laranja, pêra, abacate... Quando são um pouco mais velhas, pode oferecer-lhes saladas de fruta ou espetos, pois são uma forma mais colorida e divertida de comer fruta.
  • Lanches salgados: quando os cereais, leguminosas e ovos já estão estabelecidos na sua dieta, pode optar por torradas com abacate, tomate, hummus caseiro, azeite, um pouco de fiambre…
  • Panquecas de aveia e banana: 1 banana, 1 ovo e 2 colheres de farinha de aveia, misturar tudo e colocar na panela. Tão simples e tão saboroso! Tanto as crianças como os adultos adodarão.
  • Bolos caseiros sem açúcar: existem mutias receitas sem açúcar que utilizam adoçantes naturais tais como tâmaras, banana, maçã ou cenoura. São uma forma ideal de comer algo doce sem cair na pastelaria industrial.
  • Bolachas caseiras de aveia e... coisas! A aveia é um cereal que se combina bem com tudo e tem muitas propriedades benéficas. Pode misturá-la com quase tudo: coco, maçã, banana, nozes, chocolate... Basta adaptar as receitas à idade do seu bebé.
  • Papas ou porridge de aveia. Como já dissemos, a aveia combina com tudo: faça papas misturando-a com um pouco de água e aquecendo-a e depois adicione as coberturas preferidas do seu bebé, idealmente, uma variedade de frutas.
  • Iogurte com cereais e fruta. A partir dos 9-10 meses, quando já provaram produtos lácteos, uma opção muito saudável e saborosa é o iogurte com granola caseira, cereais, papas de aveia e fruta a gosto.
  • A melhor opção para levar: os sanduíches. O lanche é por excelência a refeição que os mais pequenos comem fora de casa, seja ao sair da escola ou no parque. Por esta razão, os sanduíches sempre foram o lanche por excelência e não por isso são uma má opção. Combine pães normais com pães integrais e de preferência adicione presunto ou peru com algum queijo que não seja demasiado gordo. Além disso, evite patês e alimentos processados ricos em açúcares, como os cremes de chocolate.

Por outro lado, aqui estão alguns “mandamentos” a ter em conta para que os seus filhos tenham um lanche saudável:

  • Primeiro a digestão: o lanche não deve interferir nem com o almoço nem com o jantar. Por este motivo, certifique-se de que está suficientemente separado de ambos.
  • Não exagere nas quantidades, o lanche deve fornecer 15% da ingestão diária de calorias. Isto significa que, dependendo da sua idade, deve estar entre 250 e 400 kcal.
  • Evite açúcares refinados e gorduras saturadas tais como a pastelaria industrial, os sumos industriais, produtos lácteos com um elevado teor de gordura e açúcar, etc.

Finalmente, é importante que faça da hora do lanche um momento divertido, seja dentro ou fora de casa. Evite fazer do lanche uma obrigação que não os deixe brincar e também que não estejam perante um ecrã para evitar hábitos pouco saudáveis no futuro.


Cuándo pueden los bebés comer frutas exóticas

Podem os bebés comer frutas exóticas?

A AEP - Associação Espanhola de Pediatria - recomenda começar com a alimentação complementar a partir dos 6 meses, embora cada bebé tenha necessidades diferentes e o seu pediatra possa recomendar que começe a partir dos 4 meses, especialmente se estiver a alimentar-se de leite em pó.

A fruta é um dos primeiros alimentos introduzidos na dieta do bebé, uma vez que é fácil de digerir e tem um elevado teor de nutrientes e fibras. Hoje em dia, frutos que em tempos foram considerados exóticos são agora uma parte comum da nossa dieta. Um exemplo é a banana ou o abacate, que são agora tão comuns que são cultivados em Espanha e em Portugal. Outros frutos exóticos muito comuns são o kiwi, o ananás, a manga, a papaia...

Dito isto, aqui estão algumas recomendações a ter em mente quando se inicia a alimentação complementar:

- A partir dos 4 meses de idade para bebés que tomam leite em pó e a partir dos 6 meses de idade se forem alimentados exclusivamente com leite materno, irá introduzir na sua dieta frutas tais como a pêra, a maçã, a laranja e a banana. Estas podem ser dadas em puré ou, se começar com o Baby Led Weaning, sob a forma de paus ou peças pequenas, sempre sob supervisão. Também cerca de 6 meses pode introduzir o abacate, uma fruta rica em nutrientes, fácil de digerir e com uma textura suave que será fácil de comer.

- Introduza as frutas uma a uma e progressivamente. Cada vez que introduza um novo alimento na dieta do seu bebé, deve estar atenta a possíveis reacções alérgicas. Uma boa ideia é manter um registo de cada fruta que come todos os dias e a sua quantidade. Isto tornará muito mais fácil detectar quaisquer possível alergia ou intolerância.

- Se um membro da família tiver alguma alergia, é importante que consulte o médico do seu filho para tomar precauções.

- De acordo com AEP, a partir dos 6 meses de idade podem ser introduzidas outras frutas consideradas mais alergénicos, tais como o kiwi e o ananás. É também nesta altura que se pode começar, progressivamente, com outras frutas como o pêssego, o alperce, o morango, a manga...

Estas são apenas algumas das recomendações, lembre-se que é sempre importante consultar o seu pediatra, uma vez que cada bebé tem necessidades e desenvolvimentos diferentes.


¿Es mejor la alimentación ecológica?

É melhor a alimentação orgánica ou ecológica?

Num mundo cada vez mais poluído e químico, os pais procuram os produtos que são melhores para os seus bebés e previnem o desenvolvimento de certas doenças. Nos alimentos… quais são os requisitos para que estem sejam orgánicos? São melhores?

O que é a alimentação ecológica?
Os alimentos rotulados como biológicos na Europa devem conter pelo menos 95% em peso de ingredientes que tenham cumprido as normas de produção estabelecidas no Regulamento Europeu 834 de 2007. Estas regras limitam, por exemplo, a utilização de pesticidas e fertilizantes sintéticos, produtos químicos, alimentação dos animais, forma de agricultura, etc.
Portanto, a principal vantagem deste tipo de alimentos é que são respeitosos com o ambiente na sua preparação, mas também que contém menos pesticidas ou produtos químicos do que outros.

É melhor a alimentação ecológica?
Todos os estudos realizados sobre este assunto declaram que não existem diferenças substanciais a nível organoléptico (em termos de sabor) entre um produto orgânico e um que não o é. Também não é verdade que as frutas e legumes da agricultura convencional são mais bonitos ou iguais porque foram produzidos utilizando mecanismos genéticos, mas simplesmente porque os feios são descartados.
Em suma, no que diz respeito à qualidade nutricional dos produtos biológicos em comparação com os produtos não biológicos, vários estudos afirmam que não podem ser encontradas diferenças substanciais entre eles.
O que é certo é que os produtos da agricultura biológica contêm menos pesticidas e bactérias resistentes aos antibióticos (no que diz respeito à carne). Os produtos orgânicos têm menos pesticidas, metais pesados e concentrações mais elevadas de antioxidantes, o que é muito benéfico para a saúde, especialmente para os bebés, pois são muito mais sensíveis aos resíduos de substâncias nocivas nos alimentos, poluição, pesticidas, etc. O organismo do bebé não é capaz de degradar facilmente as toxinas que podem ter os alimentos, o que pode levar, em alguns casos, a intolerâncias e alergias alimentares.
É por isso que, os alimentos orgânicos são melhores.

Conselhos sobre a escolha de boiões orgânicos
Embora seja claramente melhor preparar refeições e purés de bebé com alimentos frescos e sazonais, isto nem sempre é possível. Por isso, quando for às compras de boiões de comida para bebé, tenha estas dicas em mente:
– A idade do bebé e os ingredientes: cada alimento deve ser introduzido na dieta do bebé gradualmente e sem oferecer dois novos alimentos ao mesmo tempo.
– Assegurar que cumpre os requisitos de qualidade e segurança necessários. Isto significa que cumprem uma série de normas relativas ao teor de proteínas, sódio e nitrato. Além disso, de acordo com a Directiva 96/5/CEE, os boiões de alimentos para bebés não podem conter vitaminas A e D adicionadas.
– A data de expiração.